ESPAÇOS DE LATÊNCIA DE LUCIANO MONTANHA NO MACRS


O Governo do Estado, a Secretaria de Estado da Cultura,
o Programa de Pós Graduação em Artes Visuais - IA/UFRGS
e o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul 
apresentam


Espaços da Latência
Exposição de Luciano Montanha

Ao programar a gênese da imagem no interior de suas câmeras artesanais pinhole e transportá-las para um horizonte espacial, Luciano Laner desafia a condição de transparência historicamente legada aos dispositivos mecânicos. Neste processo de construção de uma epistemologia poética, o familiar adquire estranheza e a imagem fotográfica, como experiência tridimensional, enseja aproximações com as latências que envolvem tanto a instauração da própria imagem quanto os fluxos urbanos e seus processos de transformação.
Alexandre Santos
Crítico e historiador de arte
Novembro de 2014



Os aspectos visíveis das transformações do tecido urbano expõem a cidade como latência e como tensão entre permanências e impermanências. Vistas como acúmulo de tempos e conflitos inscritos na paisagem, a cidade luminosa, a cidade opaca, as ruínas e as construções surgem como as personagens destes movimentos.
Espacializadas como esculturas e instalações, as fotografias de Luciano se relacionam com o espaço de exposição e criam os seus próprios espaços, propondo o espectador como o agente da narrativa que se desenvolve no espaço e no tempo.
Para obter suas fotografias, o artista opera o aparelho fotográfico fazendo uso das potencialidades da fotografia pinhole – um tipo de fotografia que permite ao fotógrafo construir as suas próprias câmeras e obter imagens sem fazer uso de lentes ou de sistemas mecânicos automáticos, remetendo o processo às origens da fotografia.



Espaços da latência
Exposição de Luciano Montanha

Abertura
17 de novembro de 2014, segunda-feira, 19h
Visitação
de 18 de novembro a 18 de dezembro
Segundas, das 14 às 19h
Terças a sextas, das 10 às 19h
Sábados, domingos e feriados, das 12 às 19h

Museu de Arte Contemporânea RS
Casa de Cultura Mário Quintana
Rua dos Andradas, 736
Centro Histórico | Porto Alegre

Informaçõs e agendamentos de turmas
+55 51 3221 5900



Defesa pública da dissertação de mestrado
5 de dezembro de 2014, sexta-feira, 9h
Sala Cecy Frank, 4º andar
Casa de Cultura Mário Quintana

Dissertação
Espaços da Latência: da cidade ao fotográfico através da Caixa Preta

Mestrando
Luciano Coronet Laner (Luciano Montanha)

Banca examinadora
Prof. Dr. Alexandre Santos (PPGAV-IA/UFRGS – orientador),
Prof. Dr. Cezar Bartholomeu (PPGAV-EBA/UFRJ),
Profª. Drª. Elaine Tedesco (PPGAV-IA/UFRGS) e
Profª. Drª. Marilice Corona (PPGAV-IA/UFRGS)



A exposição Espaços da Latência é uma realização do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Cultura, do Programa de Pós Graduação em Artes Visuais – IA/UFRGS e do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul.

Financiamento
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria de Estado da Cultura
Pró-Cultura RS - Fundo de Apoio à Cultura

Apoio
Casa de Cultura Mário Quintana
Impacto Signs



Luciano Montanha é artista e educador, natural de Canoas (RS). Atualmente reside na cidade do Rio de Janeiro. É mestrando em Poéticas Visuais no PPGAV-UFRGS (2012-14). Em 2009, realizou a exposição Janela para o Céu, indicada ao IV Prêmio Açorianos de Artes Plásticas nas categorias Fotografia e Artista Revelação. Em 2013, realizou a exposição (V) e (F) sobre a efetivação de relações impossíveis, em parceria com o artista RafaÉis. A exposição foi selecionada pelo edital da Galeria Ecarta e também apresentada no Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho, em Caxias do Sul (RS), tendo sido indicada ao VIII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas na categoria Desenho. Espaços da Latência é a terceira exposição individual do artista.