DA MATÉRIA SENSÍVEL

Carla Borba Vestido de Pedra - Minas do Camaquã, Performance orientada para vídeo, 2010

Da matéria sensível

A invisibilidade ganha corpo. Vira matéria. Transforma-se em poesia.
E então o imaterial abre espaço para pensarmos o próprio material.

Ao compreender que matéria é mais do que matéria bruta, aquilo que constitui o corpo, a dotamos de sentido, sensibilidade e performatividade. Tudo aquilo que tocamos, também nos toca. Nesse encontro a matéria age, atua, per-forma.

Para Bruno Latour, a performatividade explora o entre, o que acontece quando corpos ou objetos são deixados à ação. Assim, agir seria permitir que algo ou alguém trabalhe através da forma. E deixar que a forma fale por si mesma.

Da pedra à pele, do tecido ao vidro, do ferro à luz, a partir de fungos ou do plástico. Da matéria sensível se propõe a explorar diferentes maneiras de dar forma à sensibilidade, ativando realidades e expandindo potencialidades de coisas e seres.

Bruna Fetter
Curadora e membro do Comitê de Acervo e Curadoria do MACRS

ARTISTAS: Adauany Zimovski, Antônio Augusto Bueno, Claudia Hamerski, Carla Borba, Carlos Asp, Ío (Laura Cattani e Munir Klamt), Ismael Monticelli, Karin Lambrecht, Keyla Sobral, Lilian Maus, Marion Velasco, Milton Kurtz, Ricardo Cristofaro, Rochele Zandavalli, Romy Pocztaruk, Shirley Paes Leme, Tony Camargo, Vera Chaves Barcellos.,

SERVIÇO:

Abertura dia 19 de agosto, terça-feira, às 19h.
Visitação 20 de agosto a 19 de outubro.
Museu de Arte Contemporânea do RS, Galeria Sotero Cosme
Rua dos Andradas, 736, 6º andar da Casa de Cultura Mario Quintana
Porto Alegre - RS / Brasil
ENTRADA FRANCA