A FORÇA DO TEMPO Fotografias de Ricardo Chaves no MACRS


A FORÇA DO TEMPO fotografias de RICARDO CHAVES 
Fotógrafo homenageado do 7º FestFotoPOA

“Poucos profissionais do fotojornalismo no Brasil conseguem ter em suas biografias duas características que marcam a de Ricardo Chaves: participar ativamente da História que se desenrola em frente a sua câmara fotográfica e deixar que essa História invada sua vida através da paixão, das amizades criadas na correria do jornalismo e nas experiências que acabam também por fazer parte dessa mesma História. E nesse aspecto o tempo foi um aliado do “Kadão”, lhe dando o tirocínio profissional para antecipações precisas e a oportunidade de viver o contemporâneo do Brasil, Uruguai e da Argentina. O primeiro, seu país onde ele aprendeu todas as diferenças de sua origem gaúcha. Os outros dois, vizinhos culturais mas com histórias e agitações políticas que marcaram sua vida. Ricardo Chaves deu a volta ao mundo fotografando Papas, Líderes Mundiais, Copas do Mundo, Olímpíadas e em todas essas coberturas deixou a sua marca de fotojornalista mas também do seu humanismo marcante. Sua vida pessoal e suas aventuras foto-jornalísticas se confundem. Esse é o privilégio que temos, agora, de assistir.”
                                                                                                                 Carlos CarvalhoOrganizador / FestFotoPOA
Currículo:
Ricardo Chaves nasceu em Porto Alegre, RS, Brasil, em 21 de julho de 1951. Em l969, procurou o jornal Zero Hora desta cidade em busca de um estágio que lhe permitisse aprimorar seus conhecimentos de fotógrafo amador. Foi auxiliar de laboratório e fotógrafo. Deixou Zero Hora para trabalhar com Assis Hoffmann na Agência Focontexto, que atendia as sucursais de jornais do Rio de Janeiro e de São Paulo.
Em 72, foi contratado como fotógrafo da sucursal do Jornal do Brasil em Porto Alegre, onde atuou por dois anos. Depois de três anos fazendo “free lancer”; para as revistas Veja, Placar e Quatro Rodas, entre outras da Editora Abril, foi efetivado em 76 como fotógrafo da Veja. Em 81, convidado por Veja, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Fez para essa revista reportagens pelo Brasil, América Latina e Europa, como a primeira visita do Papa João Paulo II à Polônia, a viagem do Presidente Figueiredo à França e a Portugal e a Copa do Mundo da Espanha em 82.
Saiu da Veja em 84, quando a revista Isto É lhe ofereceu o cargo de Editor Adjunto de Fotografia em São Paulo. Dois anos depois, foi promovido a Editor. Trabalhando para Isto É, cobriu a Copa do Mundo de 86, no México, e foi enviado a Austrália para fazer as fotosde uma matéria de capa sobre o milionário Tião Maia.
Em julho de 88, atendendo a um convite da Agência Estado (O Estado de São Paulo e Jornal da Tarde), mudou-se para Brasília. Como coordenador de fotografia da Agência Estado na Capital Federal, acompanhou a visita que o Presidente Sarney fez à China, a promulgação da nova Constituição, a campanha presidencial e a posse de Collor. Como enviado especial, esteve com Collor nos EUA e na antiga Tchecoslováquia.
Em janeiro de 1991, voltou a São Paulo como um dos Editores de Fotografia da Agência Estado. Em setembro de 9l, enviado pela AE e Revista Goodyear, fotografou os bastidores da Fórmula 1 no G.P. da Espanha e no G.P. de Portugal. Neste mesmo ano, acompanhou no ¨pool¨ a visita do Papa ao Brasil.
Em maio de 92, foi convidado a voltar a Porto Alegre como Editor de Fotografia de Zero Hora, cargo que ocupa atualmente. Pela Zero Hora, esteve em Moscou e na Sibéria. Esteve ainda, em Cuba, em Moçambique e, no final de 95, acompanhou a equipe do Grêmio a Tóquio para a partida final do Campeonato Mundial Interclubes (Copa Toyota). Antes de retornar da Ásia, foi ao Vietnã, onde produziu asfotos para uma série de reportagens sobre aquele país.
Ricardo participou de algumas mostras de fotografia no Brasil e no Exterior Fez ainda cinco exposições individuais: "Uruguai, imagens de uma história recente" (80), "Sonhos ao Sol" (87), "F1, Vida de Cigano" (92), "Além da Utopia" (94), com fotos da Rússia e de Cuba, e no fim de 1997 realizou a mostra VIETNÂ - Tempo de Viver. No ano de 1998, foi um dos fotógrafos convidados para a II Bienal Internacional de Fotografia em Curitiba, onde expôs três trabalhos na coletiva Mostra Brasil. Em março de 99, participou, em Porto Alegre, da exposição "Os Gaúchos na Bienal de Curitiba II". Em novembro deste mesmo ano, foi um dos autores na Nona Edição da Coleção MASP/PIRELLI, participando da coletiva, do catálogo, e tendo seus trabalhos incluídos no acervo do museu . Em março de 2000, cobriu para Zero Hora o G.P. do Brasil de Fórmula 1, e em setembro do mesmo ano, os Jogos Olímpicos de Sidney.
Em 2003 participou da coordenação e edição do livro de fotos "Cenas da Vida Gaúcha" produzido com material da equipe da RBS.
Em junho de 2005, convidado pela Embaixada Brasileira no Suriname,  fez a exposição “Retratos do Brasil” e ministrou workshop em Paramaribo.
Nos últimos quatro anos  fez, convidado pelo grupo espanhol Inovation, consultoria na área de fotografia para os jornais El Caribe, de Santo Domingo na República Dominicana, Diário do Norte do Paraná,de Maringá/Paraná, e Diário de Notícias, da Ilha da Madeira, Portugal, O Correio da Bahia, em Salvador e A Tribuna , de Vitória, no Espirito Santo.
Participou, como jurado, das últimas quatro edições anuais do Prêmio Conrado Wessel, de Fotografia, em São Paulo, que é a mais importante e prestigiada distinção da Fotografia Brasileira.
De dois  anos para cá é responsável pela coluna Reflexo, sobre fotografia, publicada mensalmente na contracapa do caderno Cultura no jornal Zero Hora. Desde setembro de 2011 é o editor titular do Almanaque Gaúcho,  coluna de memoria na antepenúltima página de ZH.
Como convidado especial foi um dos expositores na mostra SHANGHAI, exibida em 2010 no Centro Cultural da Usina do Gasômetro e que volta agora, no Museu Hipólito da Costa como parte do festival de fotografia FestFotoPOA na capital gaúcha. Escolhido como fotógrafo homenageado do FestFotoPoa 2013.
Casado com Loraine, tem dois filhos: Letânia (36) e Leonel (32).

SERVIÇO:
EXPOSIÇÃO: FORÇA DO TEMPO – fotografias de RICARDO CHAVES
Organizador: Carlos Carvalho
Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – Galeria Xico Stockinger
INAUGURAÇÃO DIA 6 DE MAIO DE 2014 ÀS 19h.
VISITAÇÃO: De 7 de Maio a 1º de Junho de 2014, segunda das 14h às 19h, de terça à sexta das 10h às 19h, sábado, domingo e feriados das 12h às 19h.
ONDE: Museu de Arte Contemporânea do RS, Rua dos Andradas, 736, 6º andar, Casa de Cultura Mario Quintana, Bairro Centro Histórico - Porto Alegre/RS - CEP 90020-004.
CONTATO: TEL +55 51 3221 5900 / E-MAIL: mac@sedac.rs.gov.br
ENTRADA FRANCA