21 ANOS FAZENDO A PAISAGEM DO RS MAIS CONTEMPORÂNEA

Museu abre sua temporada artística com exposição, intervenção, palestras, seminário e lançamento de livros.

Dia 02 de março o Museu de Arte Contemporânea do RS dará largada a intensa e comemorativa programação de exposições 2013 que assinalam a maioridade do Museu, fundado em 04 de março de 1992, preparando-lhe para ampliação do seu acervo e sede em 2014.

Para celebrar esta importante data será inaugurada em ambas galerias do MACRS (Rua dos Andradas, 736, 6º andar – CCMQ) a exposição coletiva FAZER E DESFAZER A PAISAGEM. Com curadoria da artista e professora SANDRA REY, a mostra traz trabalhos dos artistas do grupo de pesquisa em processos híbridos de arte contemporânea, do programa de pós-graduação de artes visuais da UFRGS: BEATRIZ RAUSCHER, BRUNO BORNE, CELESTE WANNER, ELIANE CHIRON (Artista Convidada), ELAINE TEDESCO, LURDI BLAUTH, RICARDO CRISTOFARO, SHIRLEY PAES LEME E SANDRA REY. A exposição propõe alargar relações entre a paisagem e seu significante imediato, a natureza, e é idealizada em torno de obras que colocam questões sobre a percepção, o meio ambiente, o lugar e as práticas da arte. Nas obras apresentadas, as relações entre paisagem e natureza não são unívocas, não se apresentam como equivalentes, nem tampouco se definem sempre da mesma maneira. Pelo contrário, essas relações são esgarçadas ao ponto em que a operação que se cumpre nessa equação de relação entre paisagem e natureza possa alcançar o sujeito e a cultura. O tratamento dispensado pelos artistas ao tratar a paisagem busca expandir, em última instância, o conjunto de referências no qual a mente opera. Os procedimentos adotados pelos artistas se consolidam nas relações entre a construção e desconstrução, entre a montagem e desmontagem, assumindo as fraturas impostas pelos dois atos – de fazer e desfazer – para compor novas totalidades suscetíveis de provocar espaçamentos simbólicos na percepção do real. As obras, portanto, abordam a paisagem de maneira aberta, alargando modos de fazer através de desconstruções operatórias, simbólicas e metafóricas. Os artistas possuem em comum o vínculo ativo com o desenvolvimento de uma produção ligada a pesquisas sobre processos híbridos e estudos no campo da arte. Dia 05 de abril ocorrerá o seminário “DESDOBRAMENTOS DA PAISAGEM”, das 10h às 12h e das 14h às 18h, no Auditório Luís Cosme, 4º andar da CCMQ, encerrando com o lançamento do catálogo da exposição.

Antes da inauguração da programação 2013, a artista Shirley Paes Leme ― que também participa da exposição Fazer e Desfazer a Paisagem ― aproveitará a ocasião para conversar com o público sobre sua obra registrada no livro SHIRLEY PAES LEME (São Paulo: Editora Alfaiatar, 2012) organizado pelo curador e diretor do MAC-USP, Tadeu Chiarelli. O encontro será também no dia 02 de março, às 17h, no Auditório Luís Cosme (4º andar da CCMQ), e o lançamento, após a palestra da artista, será às 18h no Espaço Vasco Prado do MACRS (6º andar da CCMQ). A publicação oferece ao leitor o contato com textos de alguns dos críticos mais consagrados do país, que pontuam aspectos fundamentais da produção da artista. Conforme Chiarelli, “o trabalho da artista impressiona por sua capacidade de, por meio das mais variadas modalidades artísticas, manter vivo um lirismo devido a sua sensibilidade repleta de afetividade. Suas instalações, vídeos, desenhos e esculturas conjugam o muito antigo ao moderno e ao contemporâneo, e essa simbiose, que dificulta colocar sua produção em algum escaninho fácil, é o que mais seduz em sua poética”.

ELEVAÇÃO SONORA é a criação da artista VIVIANE GUELLER para os elevadores da Casa de Cultura Mario Quintana (inauguração 02/03 às 19h). O projeto surgiu em 2012 com uma série de pílulas sonoras que foram veiculadas na Mobile Radio da 30.ª Bienal de São Paulo - e contava com uma estação instalada no prédio do Ibirapuera e um site de transmissão durante o período da mostra. Paralelo à Bienal, Viviane começou a pensar em outras formas de circulação, em locais onde se produzissem pausas necessárias à adesão do trabalho, situações nas quais frestas no automatismo do cotidiano possam se abrir. Neste sentido, a proposta para o MACRS é um desdobramento do trabalho apresentado na 30.ª Bienal de São Paulo: a transmissão de algumas destas pílulas sonoras, ainda inéditas, nos dois elevadores da CCMQ Alas leste e oeste) a partir do acionamento de sensores que foram instalados nas entradas. Assim, cada vez que algum visitante entre no respectivo andar, o som é disparado, surpreendendo-o pela maneira como surge e por seu conteúdo.

SERVIÇO:

O QUÊ: ABERTURA DA PROGRAMAÇÃO DE 21 ANOS DO MACRS 2013

ONDE: Museu de Arte Contemporânea do RS, Rua dos Andradas, 736, 6º andar, Casa de Cultura Mario Quintana.

·         FAZER E DESFAZER A PAISAGEM: Galerias Sotero Cosme, Xico Stockinger e Espaço Vasco Prado. Seminário DESDOBRAMENTO DA PAISAGEM e Lançamento do catálogo da exposição, Auditório Luís Cosme (4º andar CCMQ) , dia 05/04 - sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 18h.

·         PALESTRA E LIVRO SHIRLEY PAES LEME: Auditório Luís Cosme (4º andar CCMQ), dia 02/03 – sábado, a partir das 17h.

·         ELEVAÇÃO SONORA: Elevadores das alas Leste e Oeste da CCMQ, 02/03 – sábado, a partir das 19h.

QUANDO: Abertura dia 02 de março de 2013 às 19h. Visitação até 07 de abril de 2013.

HORÁRIOS: Segunda, das 14h às 19h, de Terça a Sexta das 10h às 19h, Sábados, Domingos e Feriados das 12h às 19h.

INFORMAÇÕES: +55 51 3221 5900 / mac@sedac.res.gov.br / www.macrs.blogspot.com / facebook.com/contemporanears

TODAS AS ATIVIDADES COM ENTRADA FRANCA

MAC = VC + CONTEMPORÂNEO