Prêmio Açorianos e o MACRS

Em cerimônia realizada na noite desta terça-feira, no Teatro Renascença, em Porto Alegre, o 6º Prêmio Açorianos de Artes Plásticas anunciou os seus vencedores.

Gisela Waetge foi eleita a Artista Destaque pela mostra Desenhos e Pinturas, que também lhe rendeu o prêmio em Pintura. A artista paulista vive em Porto Alegre desde 1980 e já participou das bienais de São Paulo (1991) e do Mercosul (1997 e 2005).

Já pela mostra Órfão (O Tempo sem Ponteiros), Isabel Ramil ganhou na categoria Artista Revelação. Ismael Monticelli ganhou em Escultura e também Incentivo à Produção Plástica por A Paixão Faz das Pedras Inertes um Drama. O porto-alegrense foi ainda destacado na Bolsa Iberê Camargo 2011.

A categoria Exposição Individual do Prêmio Açorianos foi para Eduardo Haesbaert, com A Última Cena. A mostra reuniu 13 obras em pintura, videoinstalação e desenho. A distinção Exposição Coletiva foi para os artistas Bruno Borne, Dirnei Prates, Marília Bianchini e Nathalia García, pela mostra Cartão de Visita.

Iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, O Prêmio Açorianos de Artes Plásticas reconhece artistas e instituições que se destacaram no cenário das artes visuais da Capital ao longo de 2011.

Os premiados

O MACRS constou de 09 indicações e teve duas exposições premiadas nas quais participava como instituição anfitriã:

Artista revelação: Isabel Ramil, por Órfão (O Tempo sem Ponteiros), Galeria Xico Stockinger (MACRS)

Curadoria: Paula Ramos, por Frantz – O Ateliê como Pintura, Galeria Xico Stockinger (MACRS)

Artista destaque: Gisela Waetge, por Desenhos e Pinturas (Galeria Gestual)

Incentivo à produção plástica: Ismael Monticelli, por A Paixão faz das Pedras Inertes um Drama (Instituto Goethe)

Pintura: Gisela Waetge, por Desenhos e Pinturas (Galeria Gestual)

Escultura: Ismael Monticelli, por A Paixão Faz das Pedras Inertes um Drama (Instituto Goethe)

Desenho: Flávio Gonçalves, Guilherme Dable, Vivian Herzog e Amélia Brandelli, por Maisimerso (Espaço Cultural ESPM)

Cerâmica: Tânia Resmini, artista homenageada na exposição Objetos de Desejo (Jabutipê)

Gravura: Programa Artista Convidado, da Fundação Iberê Camargo

Mídias tecnológicas: Eny Schuch, por Vide (Museu do Trabalho)

Fotografia: Luiz Carlos Felizardo, FestFotoPoa/Santander Cultural

Espaço institucional, público ou privado: Fundação Ecarta

Destaque em projeto alternativo: Maria Lucia Cattani, pela performance e lançamento do livro Um Ponto ao Sul (Biblioteca Pública do Estado)

Exposição individual: A Última Cena (Bolsa de Arte), de Eduardo Haesbaert

Exposição coletiva: Cartão de Visita, de Bruno Borne, Dirnei Prates, Marília Bianchini e Nathalia García (Galeria Gestual)

Textos, catálogos e livros publicados: Santiago, por Caminhos do Santiago

Patrocínio e/ou apoio a eventos: Instituto Goethe

Acervo/memória: O Museu Sensível (Margs)