METROPOLITANOS – A NOVA URBANIDADE EM EXPOSIÇÃO



a exposição está aberta para você, você está aberto para ela?

O Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MACRS) comemora 20 anos oferecendo aos seus visitantes a oportunidade inédita de conhecer os principais artistas da nova cena urbana do Estado. O termo urbanidade foi tomado de empréstimo para localizar estes artistas que se apropriam da cidade tanto para projeção como construção de suas imagens artísticas. Mais do que uma exposição, METROPOLITANOS é uma provocação visual, trazendo para o museu figuras enigmáticas, formas desconcertantes e traços livres em um lúdico universo de cores e formas, signos que já habitam as paredes das metrópoles, mas, sobretudo, renovam o estilo de ser contemporâneo, ou revelam uma NOVA URBANIDADE.

A exposição celebra o encontro pioneiro em um museu público do Estado de 25 artistas gaúchos, de diferentes cidades do RS, que já circularam o mundo com seus trabalhos confrontando os sistemas estéticos da academia e o próprio estatuto da obra de arte como a reconhecemos até então, para chegar às paredes do MACRS, lugar, aliás, que são grandes merecedores.

Visando expandir ainda mais nossos horizontes expositivos e reflexivos convidamos Braziliano, Carla Barth, Carol W, Celo Pax, Cusco Rebel, Guilherme Nerd, Jotapê, Holie, Lidia Brancher, Luciano Scherer, Luciano Spinelli, Matheus Grimm, Nina Moraes, Paula Plim, Pablo Etchepare, Pedro Gutierres, Renan Santos, Ricardo Dias, Seilá Pax, Sergio Rodriguez, Talita Hoffmann, Trampo, Tridente, True e Xadalu, todos para trazer, principalmente, estes novos motivos, olhares e comportamentos artísticos para dentro do Museu.

Propomos aos artistas a ocupação das duas galerias do MACRS com a finalidade de apresentarem, individual e coletivamente, suas criações. Na galeria Xico Stockinger está reunido um importante conjunto de obras que atesta a força e densidade desta nova geração artística. Na galeria Sotero Cosme propomos uma intervenção em grande escala, talvez a maior tela já pintada publicamente ― são 100m lineares percorrendo as paredes em que artistas e público deixarão as suas marcas ao longo da exposição.

Agradecemos aos nossos apoiadores, patrocinadores e divulgadores que acreditam no potencial transformador da sociedade que a arte contemporânea propaga, através de novos mecanismos de criação e produção de conhecimento. Especialmente a estes artistas que são grandes observadores do seu tempo, cujas obras espelham as múltiplas identidades em que convivemos na cultura urbana contemporânea.


André Venzon

Diretor MACRS